COLLABORATIONS | PT

I am Yours | Norbert Pape & Vânia Rovisco (2010 – 2011)

_MG_3095

Como sugerido no título, I am Yours, propciona várias dinâmicas relacionais entre performers e público. O trabalho permite compor (no espaço, tempo e na intensidade) em encontros com os membros do público. A complexidade das relações e a sua expressão física convida a uma intimidade direcionada. Com o desenrolar do tempo multiplas relações de poder se manifestam nos corpos presentes.

I am Yours, um convite, que busca transgredir sem ofender demasiado ou melhor é uma ofensa que usa a sedução como meios para invocar outras percepções. Jogando com o discurso físico da sensualidade / sexualidade exposta, utiliza o olhar do público como espalho – super – heróis sexuais sentam/observam/testemunham rodeados de colchões insufláveis. Colmata no reino da intimidade e do exibicionismo, que se situa na inconsciência dos nossos corpos sexuais, revelando comportamentos uns com os outros e com o nosso meio.

créditos: Udo

__________________________________________________________________

The State of Things | Vânia Rovisco & Maria F. Scaroni (2010 – 2011)

the state of creature feature retouched

Declaração Artística

The State of Things é uma investigação compartilhada, uma estação de trabalho ao vivo ou evento performance ao vivo, um encontro progressivo, concebido, com curadoria e executado por artistas Vânia Rovisco (PT) e Maria F. Scaroni (IT). Apesar de suas preocupações e temas específicos, o TSOT aspira a ser uma condição para criar. É um útero, um lugar para transformar a matéria, espaço e tempo através da não-linear do corpo e reiterou invasão. Cada evento ao vivo detém um novo potencial, aberto a outros recursos de mídia, artistas, recursos energéticos e humanos, dependendo dos contextos e seus conjuntos peculiares e perguntas.

Os assuntos ou encontros, Rovisco e Scaroni abordam, giram em torno de temas como processo, performance / o desempenho, a presença, pesquisando o território compreendido entre a instalação e de desempenho do sujeito, e como ele pode tornar-se ou ser nomeado como dança, ou ritual / espaço teatral. Uma perspectiva relacional é o que é interessante na produção / recepção da obra de arte em si. O material gerado deve ser maleável para se ajustar a uma verdade de modalidade de apresentação ou experiências, proporcionando diversos modos de visibilidade e fruição, de encenar coreografias, para instalações de arte ou filme. Os eventos performativos são principalmente duracionais e tendem a provocar uma resposta afetiva do espectador, que infectado por as imagens geradas no espaço, e pode por experiência o seu reflexo ser de esgotamento pela presença do performer.

Rovisco e Scaroni play e dis-play com várias matérias. A seleção do material utilizado vem da reflexão sobre a matéria viva e não-viva, inclusividade e do interesse de colocar para fora um tecido, uma textura (TEXTO) sempre em mutação, variando de representação ou objectos a matérias tácteis ou fenômenos, provocando o olhar dos visitantes. O público é, portanto, chamado como testemunha, participante, voyeur ou visitante. Não há distinção clara entre gêneros. Este trabalho pode ser referido como estranha. A instrução subjacente é que o corpo, é forma e fonte capaz e a partir dum corpo de dança e práticas, bem como a partir de execuções quotidianas. A tática (como referida no De Certeau, The Practice of Everyday Life) disposição é o que está em foco, em vez de um desejo de afirmar o que é ou não é dançar, ou arte performativa ou arte visual. os campos estão abertos e sem restrições ou isso é o que o Zeitgeist sugere.

_____________________________________________________________________

Bridge on a Wall | Abraham Hurtado & Vânia Rovisco (2007 – …. )

Black hold 2009

2 artistas de performance, cada um com uma estética própria, colocam perguntas diferentes, no entanto procuram partilhar um espaço em comum desde anos. As visões singulares de ambos sugerem ativamente encontros nos modos de investigação e de processo na criação de obras, como a procura de instigar eventos de curadoria desafiantes e pouco comuns. Embora aparentemente diferentes, são capazes de darem voz a objectos artísticos de forma independentemente juntos.

Ao longo dos anos têm gerado diversas obras e eventos em colaborações estreitas e à distância, já não se apresentam como Bridge on a wall mas como AADK.

_____________________________________________________________________

Stupid Green | Jochen Arbeit & Vânia Rovisco (2006 – …. )

2010-10-13 09.31.34

Stupid Green inventado por Jochen Arbeit músico (Einstürzende Neubauten ) e artista de performance Vânia Rovisco que desde 2006 colaboram em tantas mas de tantas formas diversas de apresentação onde podem e devem conceber obras onde a música e performance co-existem. Quando oportuno, o convite é estendido a outros artistas de vários contextos – a criação é feita de apresentações centradas em torno de performance, sonoridades, lugares atmosféricos e settings.  Vários, diversos trabalhos têm sido apresentados ao longo dos anos, em todos os lugares!!

Um Projeto de Arte Estúpido!

(importante mencionar que no seu início a artista Åsa Frankenberg foi membro do projecto)

créditos: Paulo Melo | Martin Schultz

Advertisements